Experiências na formação de futuros divulgadores científicos
nov 19, 2015

Compartilhar

Assine o Oxigênio

 

No Brasil, ainda é comum ouvir que existe um conflito entre jornalistas e cientistas para a produção de conteúdos de ciência. Essa visão foi destaque na série de reportagens da revista “Pesquisa FAPESP”, no mês de setembro. Por um lado, os cientistas argumentam que os jornalistas tendem a distorcer o que é falado na entrevista. Enquanto jornalistas afirmam que os pesquisadores estão despreparados para dar entrevistas e não entendem o ritmo acelerado da produção jornalística.

A necessidade de capacitar profissionais em divulgação e jornalismo cientifico se reflete em cursos para cientistas e jornalistas, com destaque aos oferecidos pelo “Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo” da Unicamp, em Campinas, e pelo Museu da Vida da Fiocruz no Rio de Janeiro.

Porém, saber como divulgar ciência não se restringe apenas aos profissionais formados. Deveria estar na base curricular, como comenta Germana Barata, uma das professoras do curso de Divulgação Científica para alunos de graduação da UNICAMP.

Reportagem e locução: Kátia Kishi.

Veja também

#174 – Um esqueleto incomoda muita gente

#174 – Um esqueleto incomoda muita gente

Novas descobertas sobre evolução humana sempre ganham as notícias e circulam rapidamente. Mas o processo de aceitação de novas evidências entre os cientistas pode demorar muito. Neste episódio, Pedro Belo e Mayra Trinca falam sobre paleoantropologia, área que pesquisa a evolução humana, e mostram porque ela é cheia de controvérsias e disputas.

# 171 – Adolescência – ep. 2

# 171 – Adolescência – ep. 2

Alerta de gatilho: Este episódio da série “Adolescência” trata de temas difíceis, como depressão, ansiedade, impulsividade e sentimentos ligados às relações familiares, entre eles conflitos entre pais e filhos e também como lidar com essas questões. Ao falar destes...

#169 – Depois que o fogo apaga – Parte 2

#169 – Depois que o fogo apaga – Parte 2

Seguimos falando sobre o processo de recuperação de museus e acervos que pegaram fogo no Brasil. Quais são as etapas até a reabertura? Quem participa desse processo? Ouça como está sendo o trabalho no laboratório da Unesp em Rio Claro, o Museu Nacional do Rio de Janeiro e o Museu da Língua Portuguesa em São Paulo.

#168 – Depois que o fogo apaga 

#168 – Depois que o fogo apaga 

Incêndios como os que ocorreram no Laboratório de Biociências da Unesp de Rio Claro, no Museu Nacional e no Museu da Língua Portuguesa causam a perda de material valioso de pesquisa e de espaços de trabalho e convivência; e como é o processo de reconstituição dos lugares e dos acervos?

#137 – Latim? Morreu, mas passa bem

#137 – Latim? Morreu, mas passa bem

Você já se perguntou de onde vêm aquelas palavras utilizadas em tribunais que muitas vezes quase não conseguimos pronunciar? E quanto a um nome científico de alguma espécie de animal nova? A utilização do latim permeia o nosso cotidiano e fazemos o uso dessa língua...

#136 – De olho no rótulo

#136 – De olho no rótulo

Em outubro de 2020, foi aprovada pela Anvisa a nova norma sobre rotulagem nutricional de alimentos embalados, que entrará em vigor em outubro de 2022. Segundo a Agência, as mudanças vão melhorar a clareza e tornar mais legíveis as informações nutricionais dos rótulos...