Parceria entre Unicamp e Google preocupa comunidade acadêmica
mar 17, 2016

Compartilhar

Assine o Oxigênio

 

A Unicamp anunciou, em janeiro, uma parceria com o Google. Em e-mail enviado a alunos, docentes e professores, a universidade informou que realizava um acordo com a empresa de tecnologia. O objetivo é a disponibilização do pacote de educação Google Apps For Education, com foco em sua principal ferramenta, o Classroom. O software permite que professores compartilhem materiais de aulas e atividades com alunos.

A parceria, que não teve nenhum custo para a universidade, também envolve a disponibilização de e-mail institucional com o domínio “@g.unicamp.br”, uma espécie de gmail institucional. Para isso, os interessados em usar o serviço precisam fazer o login com o usuário e senha do Sistema de Segurança, o SISE.

A decisão gerou preocupação em parte da comunidade acadêmica, e questões como proteção de dados dos usuários e falta de transparência sobre a parceria foram apontadas. Para a pesquisadora da Unicamp Marta Kanashiro, membro da Rede Latino-Americana de Estudos Sobre Vigilância, Tecnologia e Sociedade, a Lavits, a parceria tem diversas implicações que deveriam ter sido discutidas com a comunidade universitária. Um dos pontos citados por ela é a segurança de informações.

Os projetos já existentes citados pela pesquisadora são o TelEduc, desenvolvido pela Unicamp, e o Moodle, ambos softwares de ambientes educacionais digitais livres já disponíveis para a comunidade acadêmica.

Outro ponto que preocupa pesquisadores da universidade é a transparência em relação aos termos de uso da adesão, e como a privacidade dos dados será resguardada. Após ser pressionada, a Unicamp disponibilizou as “políticas de privacidade” da parceria, que ainda se mostram confusas. O pesquisador do Núcleo de Informática Aplicada à Educação (NIEd) da Unicamp, Tel Amiel, aponta contradições no documento.

Questionada sobre o acordo, a assessoria de imprensa da Universidade informou, por meio de nota, que a escolha do Google “seguiu o princípio de estabelecer mais um recurso de apoio ao ensino. A diversidade de áreas de ensino e pesquisa e os diferentes níveis de conhecimento de tecnologia sugere que a Universidade deve colocar à disposição do corpo docente o maior número possível de recursos tecnológicos de apoio às aulas. Cabe ao docente, ou a grupo de docentes, escolher o recurso que lhe for mais adequado”. Para ler a nota na íntegra, acesse www.lavits.org.

E você, aluno, o que acha desta parceria?

A reportagem é de Sarah Schimidt.

Veja também

#135 – O lixo nosso de cada dia

#135 – O lixo nosso de cada dia

Somos grandes produtores de lixo, principalmente nós, que vivemos nos centros urbanos. Segundo uma pesquisa da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (ABRELPE), em 2019 cada brasileiro produziu quase 400 quilos de lixo. No Brasil há...

#132 – Os mitos da caverna

#132 – Os mitos da caverna

Estruturas que despertam o interesse das pessoas há milhares de anos, as cavernas ainda hoje são importantes destinos turísticos, mesmo que não para todos os gostos. Nesse episódio, falamos um pouco sobre essas estruturas, como elas se formam e também sobre os...

Oxidoc: Estranha célula das entranhas

Oxidoc: Estranha célula das entranhas

Um dia, a antropóloga Daniela Manica, hoje pesquisadora do Labjor/Unicamp, andava por São Paulo quando viu a seguinte frase pichada num muro: “Mulheres são estranhas, sangram pelas entranhas”. Naquela época, ela já pesquisava as relações entre cultura e natureza,...

Ética e Tecnologia em Saúde

Ética e Tecnologia em Saúde

O programa Oxigênio traz algumas produções de parceiros. Desta vez o programa conta com a participação do Podcast  Saúde com Ciência, do Centro de Comunicação Social da Universidade Federal de Minas Gerais, a UFMG, que contribui com a matéria “Ética & Tecnologia...

Projeto de proteção à saúde indígena

Projeto de proteção à saúde indígena

  O programa Oxigênio traz algumas produções de parceiros. Desta vez o programa conta com a participação do Podcast Unifesp, da Universidade Federal de São Paulo. A matéria explica atividades do Projeto Xingu, uma iniciativa de proteção à saúde indígena, com...

Cresce a violência no campo, segundo relatório

Cresce a violência no campo, segundo relatório

A violência no campo aumentou em 2016, informa o Relatório Conflitos no Campo Brasil, lançado em abril pela Comissão Pastoral da Terra. Foram 61 assassinatos, o segundo maior número em 25 anos. Confira a análise de Marco Antonio Mitidiero Junior, geógrafo da...

As pesquisas e usos das células-tronco

As pesquisas e usos das células-tronco

  Você já parou para pensar em quantas células nós temos no nosso organismo? Todas elas são originadas a partir das células-tronco. Nesta matéria, entenda mais sobre essas células, como podem ser armazenadas e ajudar no tratamento de doenças. Esta é uma...

Objetivos do Milênio: as desigualdades no Brasil

Objetivos do Milênio: as desigualdades no Brasil

No programa Oxigênio você também conhece outros podcasts de ciência e tecnologia realizados no Brasil. A seguir, ouça mais uma produção do Saúde com Ciência produzido pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), parceiro do Oxigênio. Esta...

Análises ajudam a prevenir lesão muscular

Análises ajudam a prevenir lesão muscular

Além de matérias exclusivas, o programa Oxigênio seleciona conteúdos de outros podcasts e web rádios para você. Desta vez, o assunto é a ciência investigando os limites do esporte nesta produção da Universidade Federal de São Paulo, o Podcast Unifesp. Saiba mais sobre...